Resenha: Vertigo - Um corpo que cai

15:00



Sempre gosto de pedir indicações de filme aos meus amigos da faculdade, por alguma razão, eles tem um gosto bem parecido com os meus e indicam cada filme melhor que o outro. Uma das indicações foi a de um filme dirigido por Alfred Hitchcock chamado Vertigo. Assim como sou fissurada em filmes, igualmente amo livros, e saber que podia conhecer esse clássico do cinema através da literatura me fez ficar muito empolgada.

"Encarregado por um antigo colega de seguir sua jovem e bela mulher, o detetive Flavières logo se vê perdidamente apaixonado pela moça. Essa impropriedade não o impede de investigar os temores de seu amigo Gévigne a respeito da esposa: suas ausências, seus mistérios, uma melancolia que a leva a olhar para as águas do Sena por horas a fio… Nenhum amante, nenhuma simulação, nenhuma doença. Apenas uma estranha relação com a bisavó, morta em circunstâncias terríveis e a quem a jovem Madeleine não chegou a conhecer"




• Páginas: 192
• Acabamento: capa dura
• Título original: D’entre les morts 
• Editora Vestígio
• Data de publicação: 05/06/2016




Flavières e Gévigne eram colegas na faculdade de direito. Flavières nunca quis advogar, mas sim seguir o que seu pai queria para ele, que era seguir na área de investigação na polícia. Já Gévigne, casou com uma mulher muito rica chamada Madeleine e estão juntos há quatro anos, mas recentemente sua esposa tem agido de forma estranha, cheia de melancolia e mistérios, como se fosse outra pessoa, e por isso Gévigne pede para seu amigo a seguir e investigar o que está acontecendo com ela. Flavières acredita que tudo isso tenha relação com a bisavó de Madeleine, Pauline, que morreu após um suicídio possivelmente decorrente de uns ataques surreais que sofria da adolescência, entretanto ela não chegou a conhecer sua bisavó. 

Diariamente Flavières seguia Madeleine, não por um favor, mas também porque tinha vontade de segui-lá e descobri o motivo de tanto mistério, queria saber o final disso tudo. O cemitério, o rio sena, um hotel, eram lugares que Madeleine costumava frequentar, sempre sozinha, como se algo a guiasse e ela só percorresse sem ao menos olhar pra trás. Enquanto Flavières a seguia, imaginava ambos juntos, como um casal e não como desconhecidos. O detetive se apaixona pela jovem mulher de seu amigo, mas isso não faz com que a investigação pare. 



A estranha relação com Pauline, bisavó de Madeleine, é motivo de tamanha curiosidade que o comove mais e mais na busca de desvendar esse mistério. Após um acontecimento, Madeleine e Flavières tornam-se amigos. Certamente ela não sabia sobre a investigação e que ele conhecia seu marido, mas via nele um alguém com quem podia conversar. Madeleine entrava numa espécie de torpor e tinha dois lados: o solar, na qual amava a vida, era divertida e alegre. Mas também tinha o lado noturno, na qual era fria e indiferente, cheia de mistérios. 

E é através de tantos mistérios que conhecemos a cada página o destino de cada um dos personagens, e pouco a pouco desvendando os enigmas desse livro. Escrito por Boileau-Narcejac, pseudônimo de dois autores, Pierre Boileau e Thomas Narcejac, vertigo é um livro repleto de suspense e que deixa seu leitor intrigado até o final. Qual o motivo de tanto segredo? Por que as mudanças repentinas de hábito? Seus autores deixam o suspense até a última página. Digno de uma boa leitura.


Já leram o livro ou viram o filme? Me contem nos comentários!

Comente:

1 comentários

  1. Não conheço nem o livro e nem o filme, e meu interesse pelo enredo só foi surgir com a publicação dessa edição - que, por sinal, está maravilhosa. Adorei sua resenha, me fez ter uma ideia melhor da trama e ter muita vontade de ler!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    ResponderExcluir