Resenha: Spotlight

18:38


Oi pessoal! Mais uma resenha de filme aqui no blog. Dessa vez vi "Spotlight" para uma avaliação de disciplina da faculdade e as conclusões que tive sobre o enredo foram tão legais que resolvi compartilhar aqui com vocês. Esse filme apresenta a história baseada em um acontecimento real de um grupo de jornalistas da cidade de Boston (EUA) que trouxe à tona diversas denúncias de casos de abuso infantil cometidos por padres. A equipe de investigação do principal jornal de Boston, denominada “Spotlight”, traz à tona casos que foram encobertos por décadas tanto pela igreja quanto por uma série de instituições e grupos.

A trama vai se desenvolvendo a partir do processo de apuração, quando os jornalistas envolvidos na matéria vão em busca de mais informações, de conhecer o escândalo e ir entendendo como esse caso é só a ponta do iceberg de diversos outros casos que envolvem padres e abuso infantil. As vítimas nos são apresentadas e acabamos nos sentindo parte da construção da matéria jornalística ao nos depararmos com os fatos.


No que diz respeito ao ritmo da história, tenho que confessar que é um filme lento. A primeira vez que assisti fiquei com tanto sono que acabei desistindo de ver. Mas ao me deparar novamente com ele, percebi que todo o desdobramento da história vale a pena. As atuações e o roteiro nos ajudam a entender que a parte jornalística é o foco principal do filme. E a partir disso podemos perceber as dificuldades e camadas presentes para se chegar na matéria perfeita.

A equipe de atores escolhidos para atuar no filme desempenhou muito bem o papel, o elenco é composto por vários artistas de peso, com atuações coesas ao ponto de nenhuma se destacar tanto das outras; o conjunto geral é que faz a diferença e até as menores atuações são destaques.


É importante salientar que a ética jornalística é visível no enredo inteiro. Toda a parte de apuração, de ouvir várias fontes (tentar ouvir a igreja, falar com vítimas, estudiosos, advogados), de não se intimidar com possíveis ameaças, de procurar nos documentos e nos livros fatos que pudessem comprovar a publicação, são apresentados claramente ao telespectador. Em uma sociedade confrontada diariamente por escândalos, corrupção e tantas outras coisas, é imprescindível que a imprensa seja "um cão de caça", que vigie, vá atrás das respostas e não fique recuada.

A história como um todo é riquíssima. Que desperta nosso senso crítico, de vigiar aquilo que sempre nos foi entregue de bandeja. Por isso achei que o nome caiu como um luva, um verdadeiro holofote, que quando muda a direção ilumina uma parte que estava "apagada" do contexto geral. Mas senti falta de mais emoção no filme. Isso não quer dizer que não foi interessante. Mas fiquei com a sensação de que estava faltando algo. E foi justamente o desdobramento da história. Claro que o foco era mostrar a grande reportagem, como surgiu a ideia de falar sobre isso, a apuração como um todo, até chegar na publicação. Entendo perfeitamente. O problema se encontra no desenrolar da história.


No filme vemos poucas reações após a matéria ser publicada no The Boston Globe. Mas e o resto? O que a igreja católica fez após isso? Houve revolta? Houve processo contra o jornal?  Senti falta de um pouco mais de opressão para que as histórias não fosses publicadas, senti falta das ameaças e do "medo" dos jornalistas que com certeza existiu. É preciso ressaltar que em nenhum momento "Spotlight" critica a religião ou a fé das pessoas, mas sim a Instituição Igreja Católica que omitiu os casos de abuso infantil que foram abordados no filme.

Por último, mas não menos importante, "Spotlight" conquistou o oscar de 2016 de melhor filme e também de roteiro original. Falando no último, é muito interessante quando um filme acrescenta uma certa dose de conhecimento, o que estimula a buscar mais sobre um assunto de uma maneira geral. Ele vai além do que um filme propõe: entretenimento. "Spotlight" é importante, pois é denúncia, é um alerta para a sociedade. 


Já viram o filme? Gostaram?

Comente:

1 comentários

  1. OOOOOOOi

    eu também tive de fazer uma atividade sobre o filme pra facul.
    Acho a obra de muita importancia pra área de comunicaçao. Principalmente no que diz respeito à ética nas investigações jornalísticas, né?
    Mas infelizmente é meio lentao mesmo :(

    beijo
    www.beinghellz.com.br

    ResponderExcluir