Resenha: Romance com o duque

19:18


Isolde Ophelia é órfã de pai e mãe e sempre sonhou com conto de fadas. Ela foi perdendo todos os seus sonhos desde que seu pai morreu e o dinheiro acabou logo após isso. Izzi agora tinha 26 anos, estava pobre e nunca tinha sido beijada. Toda sua herança foi deixada para o seu parente mais próximo homem. A única esperança era que no testamento que seu padrinho havia deixado para ela estava o castelo Gostley. Mas o que ela não sabia era que o castelo já tinha dono: o duque de Rothbury. 

“A doce Isolde Ophelia Goodnight, filha de um escritor famoso, cresceu cercada por contos de fadas e histórias com finais felizes. Ela acreditava em destino, em sonhos e, principalmente, no amor verdadeiro. Amor como o de Cressida e Ulric, personagens principais do romance de seu pai. 

Romântica, ela aguardava ansiosamente pelo clímax de sua vida, quando o seu herói apareceria para salvá-la das injustiças do mundo e ela descobriria que um beijo de amor verdadeiro é capaz de curar qualquer ferida. Mas, à medida que foi crescendo e se tornando uma mulher adulta, Izzy percebeu que nenhum daqueles contos eram reais. Ela era um patinho feio que não se tornou um cisne, sapos não viram príncipes, e ninguém da nobreza veio resgatá-la quando ela ficou órfã de mãe e pai e viu todos os seus bens serem transferidos para outra pessoa. 

Até que sua história tem uma reviravolta: Izzy descobre que herdou um castelo em ruínas, provavelmente abandonado, em uma cidade distante. O que ela não imaginava é que aquele castelo já vinha com um duque…"

• Páginas: 256
• Área temática:Adulto,Ficção
• Editora:Gutenberg 

Cada capítulo é narrado por um dos personagens principais, contrastando a opinião de cada um de modo que as narrativas se intercalam. É um livro cheio de detalhes, o que ajuda muito na imaginação. Romance e comédia são temas centrais no enredo desse livro. Seus personagens têm uma personalidade forte e isso me irritou um pouco em alguns momentos. Ambos são muito orgulhosos e demoram a dar o braço a torcer, mas em alguns casos são fáceis demais e cedem sem pestanejar. 


Uma narrativa que apesar de parecer previsível, instiga o leitor a continuar no fim de cada capítulo. Confesso que minha visão sobre os personagens não foi das melhores. Izzi é uma moça que não idealiza um romance na sua vida, mas que na maioria das vezes parece almejar um conto de fadas. Em contrapartida, ela é uma mulher a frente do seu tempo e isso me agradou bastante.

Ransom é um duque nada cavalheiresco, muito menos alguém por quem uma menina que nunca viveu um amor se apaixonaria. Ele é fechado, misterioso, orgulhoso, ranzinza e frio. Confesso que haviam momentos em que eu achava que ele seria de determinado jeito, quando na verdade ele não passava de um grosso. Mas ninguém escolhe por quem se apaixona, não é mesmo? Entretanto, com o desenrolar do livro ele acaba mudando um pouco.

Esse foi o primeiro romance histórico que eu li, então não sabia muito o que esperar. Confesso que não esperava do livro retratos de um conto de fadas, mas a maneira como os personagens são mostrados e o que principalmente a personagem principal idealiza, parece ser um romance adolescente com acréscimos de erotismo.

Não achei o livro ruim, apesar das críticas. Tessa Dare traz um romance de leitura leve e que pode ser encerrado em poucos ou um único dia. Apesar da história não ter me prendido por completo, vários capítulos me instigaram a continuar na leitura e por vezes não querer parar. A edição do livro é toda linda, da capa, as páginas, os capítulos. Sua autora tem uma narrativa direta, simples e que flui facilmente. De um modo geral, é uma mistura de romance e erotismo. E a relação dos dois personagens principais é muito intensa.

Vocês gostam de romance de época? Já conheciam o livro?

Comente:

0 comentários